segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Para Te Fazer Feliz

Obs.: Venho aqui utilizar todos os jargões já ditos e reditos no mundo contemporâneo sobre a felicidade do outro, sendo próximo ou distante.
Num mundo onde as pessoas tem PRESSA, pensar no outro tornasse um exercício mesmo de crítica a nossa própria natureza egoísta; bem, essa pode parecer uma palavra feia e até mesmo inatingível em nossos pensamentos sobre nossa própria pessoa. Penso eu que pensando assim, é um começo da minha jornada para achar o outro em mim.
Admitir que é egoísta e que ultimamente só temos encontrado tempo para nós mesmos torna-se um exercício para refletir-mos onde "encaixar" (palavra ultramundocontemporâneo) o outro em nossas vidas e, pasmém!, quando o fazemos vemos que não é tão difícil assim! Ali, Aqui, Acolá! Está o outro, e ele já invade minha vida, e eu penso que sem ele eu mesmo não estaria aqui. Aí vem o engraçado da história: quem, nos exercícios reflexivos, em que nós não reconhecemos como tal, sobre o outro acabou por não se demorar demais neles? Pronto, estamos começando a melhorar.
Melhoria demanda esforço, esforço demanda resultado, e vez por outra angústia. Encontramos alguém em quem pensar, um pensamento dedicado ao outro, ou pensamentos. Daí: "Meu DEUS, onde estava(estou) com a cabeça quando não pensava(penso) nele?!?!".
Pronto, se você chegou nesse ponto, eu posso dizer que chega a pensar no outro mais do que o autor desse texto, querido leitor, e penso que você deve começar a pensar um pouquinho em você de novo. Lembre-se: tudo é bom com moderação. Caso não consiga, e isso serve também para quem já está chegando nesse estágio, um conselho: se esbalde em seus pensamentos, gaste-os, solte-os, embebede-se neles. E, claro, não conte pra ninguém sobre isso que não se considere louco como você para entender o que estás passando.
Bem, falei falei falei, e se imagina que não cheguei no que propus no título "Para te fazer feliz". Sinceramente, meus filhos(as), creio que seria bastante pretenção falar sobre isso em si. O texto não era para falar algo do tipo "Como fazer o outro feliz". Não não. Se fosse assim, esse seria o título. "Para te fazer feliz" não é a temática pronta em si para se desenvolver; é uma vontade. Uma vontade de que ao escrever esse texto, saiba-se que o fiz para te fazer feliz, para saber que há alguém que pensa tanto em você que necessitou expressar em palavras.
Só para te fazer feliz.
"Honey loving you is the greeeeatest thing"
Ps.: Professora Débora(alma), caso você leia esses textos, não se sinta ferida pelos possíveis erros de português... eu odeio revisar meus textos! ; )

4 comentários:

Carla Cruz disse...

=)

odacy disse...

mas não se enganem, pensar no outro pode ser mais egoísmo ainda.

odacy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
odacy disse...

b&w é sempre melhor!
;D