sábado, 31 de janeiro de 2009

Cinco Minutos

Eu tenho cinco minutos pra escrever com palavras, antes de tocá-lo em música, e falá-lo em palavras, pouca coisa. Não posso ser reflexivo, enrolão, e, claro, já devia estar escrevendo, sem tanto esmero vírgula e ponto.
O que eu quero dizer, meus caros, não supera o entendimento de ninguém, todo mundo já percebeu alguma vez na vida, e as vezes quer dizer, as vezes não. Tem gente que faz drama, tem que não faz, tem quem seja orgulhoso pra dizer, tem quem diga com facilidade, tem quem faça bla bla bla.
Não precisa ser dito em cinco minutos, não precisa enrolar, não precisa ter blog, mandar por carta. É melhor ao vivo, faz bem pra alma; e pro coração.
Eu só queria dizer, porque senão não dá tempo e falta 1 minuto é que:

me perdoe, se alguma vez lhe machuquei.
Não era minha intenção.

Eu só quero o melhor, pra nós todos.

Do seu novo-sorriso-brilhante.

Cabou o tempo.

6 comentários:

Nina Ferreira disse...

Essa coisa de tempo mata.

Nathi disse...

A vida é simples como um grão de areia, por que complicamos, por que complico tanto?!

¬¬ (cara de quem não tá entendendo nada há algum tempo)...

Nathi disse...

Bom, acho que vou aceitar sua opinião..quanto ao sentimentalismo e talz!!

Mas, vou confessar que vc escrevendo da maneira que escreveu e me chamando de filha...eu achei demais!!

Obrigada!!
beijinhos

Yuri Padilha disse...

cara eu tinha feito um comentário gigante e agora percebi que ele nao ficou...

aqui vai a essência do que havia falado antes:

falar na lata ou enrolar, ambas as ações são formas de se proteger de ferir-se e ferir a outra pessoa.

enfim.

Charles C. disse...

Pena que acabou o tempo...
mas tá perdoado!
Até mais.
abraço.

marcus dutra disse...

Comentário do comentário do Seu Padilha:
A solução mais verdadeira seria falar o que vem do âmago.

Comentário do teu post:
Tá perdoado, tá perdoado... Sempre perdoado.