domingo, 9 de maio de 2010

Os Dias 2

[Primeira Pessoa]

Já me disseram que eu não sei falar de mim, do que estou sentindo no momento. Eis um fato. Sou um bom contador de histórias, inclusive das minhas histórias, entretanto, as conto bem por já saber que as tais se situam no passado. Difícil é falar do presente; talvez, nem tanto, escrever acerca dele.
Existem três coisas que eu odeio:
1 - a frase "precisamos conversar", quando eu sei que eu sou um dos envolvidos no caso a ser discutido;
2 - que meu carro dê pau não por falta de prevenção;
3 - um final de semana perdido.
Por que isso? Porque na sexta eu ouvi que "precisamos conversar", no sábado meu carro deu pau e no domingo eu acordei de uma da tarde e só deu tempo de assistir um filme e escrever esse post.
É ótimo começar uma semana assim: solteiro sem opção, com o carro na oficina e cansado como se não tivesse vivido um fim de semana.
Hey... tem alguém aqui?
Mas, uma coisa eu sei. Um dia eu conheci um cara que começou a vida atual dele em um fim de seamna com os mesmos termos que eu estou agora: com tudo que ele odiava acontecendo.
Sua namorada o havia deixado, sua banda havia acabado, seu cachorro havia morrido e ele tinha sido despedido.
Como esse cara está agora? Muitobemobrigado.
Muito bem acompanhado, com um emprego que adora, de família nova (não só o cachorro) e esqueceu a música. (Apesar de continuar sendo um ótimo compositor).
E o que eu penso acerca disso?
Tem jeito. Tem alguém aqui sim.

8 comentários:

João Gilberto disse...

Este fim de semana foi "perdido", mas como seria um fim de semana "ganho"?

A agulha leva o fio por caminhos "enrolados". Ele nunca verá de fora o desenho do tapete, pode apenas ter chegar a ter alguma consciência dele.

Que a agulha lhe coloque em caminhos melhores.

Até mais doutor.

Rute Vieira disse...

pega um ônibus.
menos um carro na rua.
e pra quê andar de carro se você pode encontrar alguém interessante no ônibus?
sem falar que você pode dormir no ônibus sem se preocupar porque tá perdendo tempo. aliás, não dá pra se fazer muita coisa num ônibus. não quando a vontade que se tem é de dormir.
e tu pode fazer isso hoje, agora. nem precisa esperar o próx. fds.
pega um ônibus, cara! :D

GABRIEL, gustavo disse...

Boa. Amanhã, vou à aula de ônibus.

Nathi disse...

Final de semana perdido?
Entra pro clube, querido.

Acho que finais de semana assim fazem tudo por pirraça, como quem diz:
"Olha, você pode lembrar daquele que foi legal, mas eu serei ainda mais inesquecível"...e...PÁÁÁÁ!
Na sua cara!.. e o que a gente faz agora?

Curte a segunda com cara de dia acumulado, num ônibus ou à pé, sendo que prefiro a segunda opção.

helena_! disse...

infelizmente e felizmente, tudo passa.

*LIS disse...

A vida é pra valer e é pra levar, né, como disseram Toquinho e Chico ao Vinícius. Como se ele precisasse ouvir isso.
Nós é que fazêmos nossos momentos, tranformando os ruins em bons, os bons em ruins, fazendo ter ou não alguém aí.

Klécia Melo disse...

Bem, como diz meu velho conhecido: num fim de semana perdido, saiu de carro e se perdeu pelas ruas recifenses, e no meio de todo o estresse da situação, parou na parada de ônibus pra pedir informação... A moça bonita virou a mulher da sua vida.
As coisas perdidas às vezes fazem a gente se achar! ^^
Gostei do blog, tô seguindo!

Débora Oliveira disse...

Meus fins de semana eu nem comento ultimamente!
Vamos pra frente, é pra frente que se vai! ^^

;*