sábado, 16 de outubro de 2010

Eu poderia ter sido "o" cara

Eu poderia ter sido "o" cara. Simples assim.
Quando você veio falar de como o mundo andava cruel com sua pessoa, com todos te pisando enquanto procuravam seu próprio lugar "ao sol", eu poderia ter sido aquele que, no meio desse burburinho e caos que mais parecia com um show do Rage Against The Machine, teria te segurado pelas mãos e pela cintura fina, impedindo que te arrastassem no meio desse maremoto de carnes e ossos.
Eu poderia ter sido "o" cara. Mas não fui.
Não porque eu cheguei atrazado. Talvez nunca estejamos atrazados ou adiantados na dinâmica do tempo, pois ele tem seu funcionamento místico que nem mesmo entendemos. Porém, é justamente o que é místico, mágico, intangível e sobrenatural que me pegou pelos pés e deixou de pernas para o ar. É isso que faltou: o feitiço que me transformaria naquele cara.
Eu, homem racional, fui pego por essas irracionalidades da vida que não dão pra entender. Baixei, então, a cabeça, derrotado pelo inexplicável e segui em frente.
Eu poderia ter sido "o" cara. Vai entender porque não fui...

16 comentários:

Bob disse...

Faltou o verdadeiro tesão: só isso. Mais sorte na próxima. :P

Ana Karenina disse...

Você ainda será. Don't worry. ;)

João Gilberto disse...

O que não tem feitiço, enfeitiçado está. És o cara e existem até os olhos que enxerguem isso, falta serem os olhos que o senhor deseja.

Nathi disse...

Odeio verbos no futuro do pretérito.
Ou se é, ou não é. Ou se foi, ou não foi.
Ponto!

Possibilidades, reflexões encima delas, isso mata até "o" cara, imagine tu...que é só um menino.

Beijos saudosos de sua filha

GABRIEL, gustavo disse...

Ser confundido com o autor é dose; coitado do eu-lírico. xD

Ana Andreolli disse...

adorei! mas não como me disseram uma vez, pra tentar de novo, errar de novo, e sofrer de novo , basta ter memória curta... hahaha

Maíra D. disse...

Para mim isso é medo.

(esse negócio de ser confundido com o autor realmente é dose!)

GABRIEL, gustavo disse...

Como eu disse, Maíra, pobre Eu-lírico.

Yuri Padilha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yuri Padilha disse...

Gosto da fala de Nathi.

Você baixou a cabeça e seguiu em frente? Por que não se ergueu para seguir em frente?

Vai se ver sempre derrotado, Charlie Brown?

Bia disse...

Gustavon... nem vem com essa de "pobre autor confundido com eu-lírico" hahahaha :*

GABRIEL, gustavo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GABRIEL, gustavo disse...

Porque as vezes baixar a cabeça também é símbolo de humildade na derrota e levantar a cabeça, orgulho.

Queria passar a idéia de que ele seguiu humildemente.

ps.: Bia, pior que, dessa vez, é sério. xD

Yuri Padilha disse...

Ter orgulho e ser orgulhoso, no sentido pejorativo que a gente conhece, nem sempre estão relacionados.

GABRIEL, gustavo disse...

Nesse caso, entenderia como ser orgulhoso.

Virna disse...

Num sei porque, os comentários do seu blog são sempre baitolas... esse povo! aosdihasodiasda