sexta-feira, 26 de junho de 2009

A Maravilhosa

Minhas costas doíam, meus olhos ardiam [vermelhos], minha cabeça rodava e se processava uma dor incômoda no meu saco. É difícil viajar 45 horas sentado, se levantando algumas vezes para atender as necessidades fisiológicas e tentando dormir, as vezes, em posições incômodas.

Só que isso não conta perto da "Maravilhosa". Sim, era ela. Eu chegava ao meu destino.

Ela com seu Cristo de Pedra, de braços abertos a me receber, com suas serras magníficas rodeadas de pequenas luzes noturnas ao cair da noite, me enlaçando, me envolvendo e me prendendo. Prendeu-me numa eterna sinergia [bem anos 80]: aquela agora era minha Maravilhosa e eu o menino dela; menino solto na boêmia, menino solto nas curvas da menina.

Eu poderia sambar a vida toda.
Se pudesse ou soubesse.
Eu voltarei, voltarei a sambar.
Um dia, quem sabe, um dia.


Viagem ao Rio de Janeiro, 10/06/2009 à 14/06/2009.

Ps.: esse post não disse nada com nada.

4 comentários:

João Gilberto disse...

Os posts não precisam dizer nada. Nós comentadores comentamos até o silêncio se preciso.

O que eu posso dizer?
Saiu um menino, voltou mais crescido, mas ainda um menino.

Quero ver a opnião de Marcus, ele é testemunha.

Ana Karenina disse...

Olha só, o Rio, taí uma viagem que gostaria de fazer.
Quem sabe um dia?!

Nathi disse...

Não creio que você e o Marcus foram ao Rio juntos...
Putz, falei om ele no sábado antes da tal viagem...Que saco, queria ter ido também, pelo menos pra te ver d everdade!
Nossa, tenho mó curiosidade de saber como é seu papo falado e não o escrito...
Acho que por um momento esqueci que encontrei seu blog no blog no Marcus...hahaha!

Ps:Me esqueci o que ia comentar quando li o comentário do João Gilberto!

João Gilberto disse...

Imagina nós e a Nathi.

Amizade blogal viraria real?

Inté mais.